+351 213 245 000 info@avaclinic.pt

doacao3O tratamento da receptora

Antes de iniciar o tratamento o casal receptor é informado sobre as características físicas externas básicas da dadora, como sejam a cor da pele, dos olhos e do cabelo e também sobre o seu grupo sanguíneo.

Após a atribuição de uma dadora ao casal, dá-se início ao tratamento simultâneo da dadora e receptora. Este procedimento aumenta as possibilidades de sucesso pela utilização de esperma fresco e a transferências de embriões a fresco (não congelados). 

Ao iniciar o tratamento ao mesmo tempo que a dadora, evitamos uma toma prolongada de estrogénios pela receptora.

O tratamento hormonal da receptora tem como objectivo fazer espessar o endométrio (mucosa que reveste o útero) para aumentar as possibilidades de implantação dos embriões.

O tratamento é efectuado com comprimidos de estrogénio e começa aquando do início de uma menstruação. Na parte final do tratamento, utiliza-se também progesterona vaginal para ajudar o processo de implantação dos embriões. O espessamento do endométrio é avaliado através de uma ou mais ecografias vaginais.

 

A fertilização dos ovócitos e desenvolvimento embrionário

O casal deve realizar análises sanguíneas para despistar a existência de hepatite B e C e HIV (Sida). Estas análises podem ser efectuadas na AVA Clinic ou num laboratório à escolha.

No dia em que se efectua a recolha dos ovócitos, é feita também uma colheita de esperma. Todos os ovócitos são fertilizados através de microinjecção (ICSI).

A fertilização dos ovócitos é observada no dia seguinte e o desenvolvimento dos embriões é acompanhado alguns dias, antes de estes serem transferidos para o útero.

doacao5

A transferência embrionária

A transferência de um ou dois embriões para o útero da receptora é efectuada com recurso a um cateter maleável. A transferência é indolor.
Se existirem embriões de boa qualidade que não são transferidos, estes podem ser congelados para uso posterior pelo casal receptor. Este procedimento evita a necessidade de recorrer a uma nova dadora, diminuindo o tempo de espera e os custos dos tratamentos.

Após a transferência dos embriões, é fundamental continuar a toma dos estrogénios e progesterona até se realizar o teste de gravidez. Este teste é efectuado através de uma análise sanguínea, 14 dias após a transferência dos embriões.

Se o teste for positivo, os medicamentos devem continuar a ser usados até às 10-12 semanas de gestação. Se o teste for negativo, a toma de ambos os medicamentos deve ser suspensa, após o que surgirá uma menstruação.
Como em qualquer gravidez, existe um pequeno risco de aborto ou de gravidez ectópica.

Quando se avalia o risco de alterações cromossómicas durante a gravidez, é importante ter em linha de conta a idade da dadora e não a da receptora para efeitos da contagem do risco.

As taxas médias de sucesso por cada doação é de cerca de 45-55% por transferência.

 

Aspectos legais e éticos

A AVA Clinic cumpre todos os preceitos legais e as recomendações do CNPMA (Conselho Nacional de Procriação Medicamente Assistida), assim como a Directiva Europeia sobre Tecidos.

Todos os resultados dos exames são comunicados às dadoras e caso não haja possibilidade de serem aceites por razões médicas são informadas desses motivos. 
As dadoras são informadas que os seus ovócitos são exclusivamente utilizados para ajudar outras mulheres a ultrapassar os seus problemas de fertilidade.
A dadora não tem quaisquer direitos ou obrigações quanto à gravidez da receptora ou qualquer criança nascida em resultado da doação. 
De acordo com o Código Civil Português a mulher que dá à luz é sempre tida como a mãe legal da criança.
Tanto a dadora como o casal receptor analisam e assinam um documento no qual está explicitada toda a informação recebida e no qual afirmam o seu consentimento para o processo de doação.